Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

D r e a m F a c t o r y

D r e a m F a c t o r y

25.06.17

A culpa é quase sempre fora de nós...

DreamFactory

A nossas frustações, ansiedades, medos, raivas, inquietações, inseguranças são parte de nós.

Não gosto da palavra culpa, prefiro responsabilidade porque culpa torna-me impotente, ata-me as mãos, tira-me o poder de agir, de espernear, de ver além, de mudar, de ser mais.

O nosso lado lunar faz parte de nós, desconfio de pessoas felizes 24 horas por dia, isso só existe no Facebook...

Acredito em aceitar esta parte de nós como mais uma fatia do bolo, algo que está lá, como estão muitas outras fatias e camadas, algo que faz parte de mim, mas que não sou eu.

Aceitando que sou muito mais que aquela fatia, é quase como se passasse a ouvir toda a orquestra em vez de só um instrumento.

Eu quero a responsabilidade da batuta, o poder de criar harmonias, de por vezes escutar os solos e de introduzir novas notas quando entender que é preciso mudar.

A responsabilidade ao contrário da culpa, está sempre dentro de nós.

bolo_colorido.jpg

 

 

11.06.17

O que é que realmente queremos?

DreamFactory

A maioria pensa, o óbvio, ser feliz, ter saúde, dinheiro, ser amado, para quem tem filhos vê-los crescer e tornarem-se boas pessoas, ter sucesso…

Acredito que 99% de nós queremos algumas destas coisas, mas quando colocamos tudo isto num funil para entender o que te faz feliz a ti, que seguramente será diferente do que me faz feliz a mim…fica cada vez mais difícil de responder.

Vivemos a correr e por vezes nem temos tempo para olhar para nós e rever ou ver o porquê.

Pára um pouco, olha para dentro de ti e escuta a tua voz interior...

O que motiva a tua acção? O que procuras realmente? O que estás a fazer para a tua meta?

Se o que me faz feliz a mim é ter tempo de qualidade com os meus, o que é que eu estou a fazer de diferente na corrida do dia a dia?

Se ter saúde é para mim é, por exemplo, uma dada imagem no espelho, quantas vezes me mexi esta semana?

Se sinto que preciso de apoio, o que estou a fazer para que a minha relação seja aquilo que eu quero?

Que exemplos quero oferecer aos meus filhos? Colocando a mão na consciência, o que faço realmente?

Se me sinto incompreendido ou desmotivado profissionalmente, que passos estou a dar para mudar isso?

Responder a estas perguntas com a Verdade, por vezes é difícil e magoa.

Faz-nos entender que tudo é subjetivo e aponta o foco para o facto de que a responsabilidade de ir chegando lá, pouco a pouco, está mesmo na nossa mão.

“Não queremos a água, queremos a sensação de matar a sede”

Qual é a TUA sede?

FOGUETAO1.png

 

23.04.17

Reconhecimento, Respeito e Responsabilização

DreamFactory

Alguém já sentiu que deu tudo o que podia e que não recebeu o que esperava em troca?

A justiça e a injustiça andam de mãos dadas e por vezes trocam-nos as voltas, derrubando os Homens e Mulheres mais fortes.

Todos queremos ser ouvidos, valorizados, reconhecidos, respeitados e ainda, acredito eu, responsabilizados.

Como podes trazer mais reconhecimento ou respeito ou responsabilização à tua vida, ao teu trabalho, à forma como te comportas?

Como te relacionas com os outros, na família, com os amigos e mais importante que tudo, contigo próprio?

A chave aqui não é esperar que os 3R’s nos caiam no colo de mão beijada, mas sim fazer tudo ao nosso alcance para que façam parte da nossa vida, todos os dias, porque não são garantidos, não ficam para sempre e têm mesmo de ser alimentados para ficarem perto de nós.

“Desejos não são Direitos”

Acredito que mereces reconhecimento, és digno de respeito e és responsável pelo que escolhes.

Então, mostra-o ao Mundo em cada passo que dás.

Recognition_has_power.jpg

 

19.03.17

As Nossas Crianças

DreamFactory

Cada vez mais acredito que a tarefa dos pais, professores e educadores e outros cuidadores, é das mais importantes que existe.

 

Ao contribuir para formar os seus valores sobre o que é certo e errado, mostrar como comportar-se com os outros e perante os desafios que a vida lhe vai atirar, ao dar ferramentas para pensar, aprender e ensinar, estamos a moldar e tocar muitas vidas.

 

Porque aquela criança vai crescer e provavelmente ser marido ou mulher de alguém, pai ou mãe de alguém, vai ser empregado, colega, ou chefe de alguém. Vai ser o vizinho de alguém, vai estar nas filas de trânsito e nos transportes públicos.

Aquela pessoa vai influenciar a vida de muitas outras pessoas e na marca que vai deixar, nós temos alguma responsabilidade.

 

O nosso alcance vai muito além do que vemos e traz consigo a possibilidade de contribuir para criar um ser humano educado, respeitador, que pense pela sua cabeça, que tenha compaixão pelo próximo, que veja mais soluções que problemas, que seja apaixonado pela vida e que acredite sempre que o melhor está ainda para vir.

“Be and teach to be, the type of person who leaves a mark not a scar”

 

LIONKIDS.jpg

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D